Por que as pessoas seguem cultos?

Hoje, existem milhares de cultos em todo o mundo. Em termos gerais, um culto é um grupo ou movimento com um compromisso compartilhado com uma ideologia geralmente extrema, que normalmente é incorporada a um líder carismático. Mas o que exatamente diferencia os cultos de outros grupos – e por que as pessoas se juntam a eles? Janja Lalich descreve como os cultos recrutam e manipulam seus membros.

Considerações:
O culto com a Ayahuasca tem em seu centro uma planta de poder.

Esse poder não vem da pessoa que a conduz ou de seus participantes. Ela vem de um componente químico da mistura da Ayahuasca.

Então é muito importante, não acreditar que a pessoa que conduz a vivencia seja a pessoa responsável pela experiencia.

Em meus estudos com a Ayahuasca, eu sei que com ou sem uma pessoa conduzindo você terá uma experiencia.

Na maioria das vivencias, onde se tem uma experiencia positiva, é difícil não associar a Ayahuasca com a pessoa que conduz a vivencia.

Também já puder ler em diferentes relatos, que a pessoa que conduz não tem a habilidade de evitar uma experiencia ruim dos participantes.

Então se a pessoa que conduz tivesse alguma influencia direta na vivencia da Ayahuasca, nenhuma pessoa poderia sofrer experiencias ruins e descontroladas.

 

 

Na Vivencia da Ayahuasca, você é REFÉM da experiencia! Seja ela boa ou ruim…

 

 

O importante a se considerar é que a pessoa que conduz seja uma pessoa que lhe ajude a compreender essa oportunidade de ver uma realidade além de nosso cotidiano.

A Ayahuasca é um catalizador. Ela vai potencializar uma vivencia “espiritualizada”.

Cuidado para não cair na ideia de que alguém possa ser dona ou responsável pela sua experiencia.

Com ou Sem Ayahuasca somos todos iguais! Alguns com mais e outros com menos vivencias!

 

 

 


Quais são as características mais comuns de grupos potencialmente destrutivos?

Características das seitas - Texto do site Grupos Abusivos por Flávio Amaral

A listagem a seguir é uma tradução adaptada da lista elaborada pelos psicólogos Janja Lalich e Michael Langone para determinar grupos potencialmente destrutivos (popularmente conhecidos como “seitas”):
Esforços para exercer influência e controle estão no coração dos grupos, programas e relacionamentos sectários. Muitos membros, ex-membros e apoiadores de seitas não estão inteiramente conscientes da extensão à qual os participantes são manipulados, explorados ou abusados. A lista a seguir de padrões comumente encontrada em abientes sectários pode ajudar a avaliar um grupo ou relacionamento em particular.
Compare estes padrões com a situação em que você (ou parente, ou amigo) esteve ou está. A lista não é um diagnóstico definitivo, pois também é necessário avaliar a intensidade de cada um destes itens, mas tem o propósito de ajudar você a refletir se é necessário se preocupar com algum grupo em que esteja envolvido:

‪☑ O grupo demonstra zelo excessivo e comprometimento subserviente ao seu líder (vivo ou morto) em relação ao sistema de crenças, ideologias e práticas, tratadas como A Verdade, como lei.
☑ Questionamento, dúvida e críticas são desencorajadas ou mesmo punidas.
☑ Práticas de modificação de consciência são usadas em excesso e servem para suprimir dúvidas sobre o líder e reafirmar doutrina.
‪☑ A liderança determina, às vezes detalhadamente, como os membros devem pensar, agir e sentir (por exemplo, em relação a namoros, empregos, casamento, filhos, educação). Líderes prescrevem como se vestir, onde viver etc.
☑ O grupo é elitista, alegando um status especial para si mesmo, seu líder, seus membros. O líder ou líderes tendem a ser considerados modelos de vida, seres com a missão especial de salvar a humanidade.
☑ O grupo tem uma mentalidade polarizada nós-versus-eles, a qual pode criar conflito com segmentos da sociedade.
‪☑ O líder não precisa dar satisfação a autoridades hierarquicamente acima ou conselhos superiores.
☑ O grupo ensina ou insinua que seus fins justificam qualquer meio necessário. Isso pode resultar em membros participando de atividades ou adotando comportamentos que seriam considerados repreensíveis ou antiéticos por pessoas alheias ao grupo.
‪☑ A liderança induz sentimentos de vergonha ou culpa de modo a influenciar e controlar os membros. Frequentemente esses sentimentos são induzidos pela própria pressão grupal entre outras formas de persuasão.
‪☑ A subserviência ao líder ou grupo requer que o membro corte vínculos com família e amigos, e altere radicalmente seus objetivos de vida e demais atividades.
‪☑ O grupo se preocupa em recrutar novos membros.
☑ O grupo se preocupa em levantar recursos financeiros.
‪☑ Os mebros são requisitados a cada vez mais dedicação de tempo, recursos e trabalho, para as atividades do grupo.
☑ Membros são estimulados a formar laços sociais apenas com outros membros do grupo.
‪☑ Os membros mais leais sentem que não há vida digna de ser vivida fora do grupo. Eles acreditam que não há outra maneira de ser e, com frequência, tem medo do que pode acontecer consigo mesmos ou com outros se eles deixarem o grupo.

Para avaliar se um grupo que você conhece tem características disfuncionais, preencha ao questionário neste link.

Fonte: Characteristics associated with cultic groups. Janja Lalich & Michael Langone. 2005.

Entenda o assunto lendo meu livro Seitas e Grupos Manipuladores: Aprenda a Identificá-los (2016).

 

(Visited 64 times, 1 visits today)

seja o primeiro a comentar

Olá! O que vc achou? Como eu posso lhe ajudar?