HRS – Escala de Classificação Alucinógena

História sobre a Escala de Classificação Alucinógena

Entre a década de 1950 e a de 1960, substâncias alucinógenas como o LSD e a psilocibina foram propostas, na América do Norte e na Europa, como adjuntos terapêuticos para tratamento de condições como ansiedade, depressão e dependência química e em investigações sobre experiências religiosas e bem-estar.

No início dos anos 1960, editoriais em prestigiosos periódicos acadêmicos começaram a questionar os métodos usados nas pesquisas com alucinógenos, acusando seus proponentes de parcialidade e viés decorrentes da auto experimentação.

Tais críticas, somadas à publicidade sensacionalista recebida pela popularização do uso recreacional dessas substâncias e sua identificação com o movimento da contra cultura, contribuíram para a interrupção desses experimentos no campo da saúde mental.

Esse processo culminou na classificação dos alucinógenos, pelas autoridades norte-americanas, na categoria I6, reservada a substâncias de abuso, sem utilidade terapêutica.

Três décadas se passaram até que se retomassem as investigações sobre potenciais terapêuticos dos alucinógenos em contexto experimental.

Ensaios clínicos conduzidos ao longo da última década sugerem possibilidades promissoras dessas substâncias para o tratamento de transtorno obsessivo-compulsivo, da ansiedade reativa em pacientes com câncer em estágio terminal, da depressão e da dependência química.

Ademais, um rigoroso estudo experimental sugere que a psilocibina pode induzir experiências de tipo místico com mudanças positivas persistentes na espiritualidade e bem-estar psicológico.

 

A Escala de Classificação Alucinógena (Hallucinogen Rating Scale – HRS) é um questionário autoaplicável,desenvolvido pelo Dr. Rick J. Strassman e colaboradores, em meados da década de 1990, na Universidade do Novo México, visando avaliar a amplitude de efeitos psicológicos decorrentes da DMT sintética, para o qual foi originalmente concebido.

Segundo o autor, o desenvolvimento de uma nova escala para verificar os efeitos subjetivos induzidos pela DMT foi necessário, porque as escalas de avaliação de alucinógenos desenvolvidas anteriormente envolviam sujeitos selecionados entre a população carcerária, que não haviam sido previamente esclarecidos sobre a administração de alucinógenos, nem sobre seus efeitos.

Os resultados desses procedimentos foram a elaboração de escalas negativamente enviesadas sobre os efeitos de substâncias alucinógenas, descrevendo-os como desagradáveis e de tipo psicótico.

Leia o artigo completo em Scielo


Você já participou de uma cerimônia com Ayahuasca?

Muito se fala sobre os benefícios da Ayahuasca, contudo ainda não temos um grande numero de relatos das experiência com a Ayahuasca.

A expressão roleta-russa é usada por algumas pessoas quando se fala em tomar a ayahuasca, porque não é possível determinar se essa experiência vai ser positiva ou negativa e quais as suas consequências.

Se quisermos conhecer uma forma segura do uso da Ayahuasca, precisamos conhecer as diferentes experiências.

Estaremos recebendo depoimentos voluntários da Escala de Classificação Alucinógena e depois estaremos publicando os resultados em nosso site. Nenhum nome ou email será publicado.

Contamos com a sua colaboração!

Veja o questionário no Google Forms

 


 

(Visited 1 times, 1 visits today)

seja o primeiro a comentar

Olá! O que vc achou? Como eu posso lhe ajudar?